Evo Morales (Foto: Juan Karita/AP)

Mais uma semana agitada dentro do mundo político seja ele em âmbito nacional ou internacional, tivemos a soltura do ex-presidente Lula por votação 6×5 no STF sobre a qual gastarei espaço para comentá-la, posto que a Constituição foi cumprida e o “Foi certo ou errado?” é perspectiva de cada Cidadão.

Atualmente, meu segundo Pais, México, recebeu o então ex-presidente da Bolívia Evo Morales que foi atingido por um Golpe de Estado que tinha como oposição: frente Militares, a Bíblia e um discurso anti povos tradicionais.

Bom, para vermos e refletirmos quanto ao que acontece quando igreja e estados estão juntos, para tanto é só estudarmos um período apelidado, carinhosamente, de “Idade das Trevas”.

Evo, assim como todos os líderes mundiais, não é uma divindade, um santo ou coisa parecida, porém é uma representação, é a voz de uma luta, é o primeiro indígena a chegar à presidência na América Latina, você consegue imaginar o nosso Brasil com um presidente Indígena? Eu também não.

Tive interessantes debates com minha família mexicana acerca de Evo, e na realidade o que meu me chamou mais a atenção foi quando, dentro do carro, o pai da família comentou: “Olhe, duas horas seguidas de rádio só falando de Evo, e o meu país? Quando eu vou saber como está o meu país?”. E ele tem total razão.

Finalizamos a conversa com a certeza mútua: “O povo sempre paga a conta!”. Imagina quando eles souberem que no meu país até desempregado está pagando a conta?

BRASIL: TAXA SOBRE SEGURO-DESEMPREGO:

Para custear o programa que tem como objetivo a contratação de jovens entre 18 e 25 anos, o governo resolveu taxar em 7,5% o seguro-desemprego, ou seja, os desempregados vão bancar o novo programa do governo. O desemprego em nosso país já atinge 12,6 MILHOES e emprego informal ou sem carteira assinada está com 38,8 MILHÕES de brasileiros (dados de: 27/09/2019).

A América Latina está sofrendo constantes alterações, fique de ouvidos abertos para o mundo, mas jamais cerre os olhos para o seu continente, para o seu país.

A mídia e os governos nesses tempos de mudanças sempre querem sua parte do pão, se informe: uma canetada, uma votação lá de Brasília é capaz de mudar tudo a sua volta. É preciso estar atento e forte, para encarar o que vem de lá!