A ativista Greta Thunberg foi eleita a pessoa do ano pela revista norte-americana Time (Foto: Reprodução)

Greta Thunberg, de apenas 16 anos, sueca, ativista contra as mudanças climáticas, adjetivada como “pirralha” pelo presidente Jair Bolsonaro, foi escolhida, como a pessoa do ano de 2019 pela Revista TIME. Quando começou a luta dessa jovem? Quem é sua Família?

BREVE HISTÓRIA

Greta é fruto do amor de uma cantora de Ópera e um Ator secundário da televisão sueca, os seus progenitores não obtiveram fortuna ou sucesso dentro de suas carreiras, porém, tiveram atitudes nobres como pais. A ativista ambiental antes de obter sua liderança e voz, sofreu deveras até cair em depressão, doença psicológica, muitas vezes patológica que se “desperta” em momentos de mudanças e/ou conflitos. A depressão de Greta foi fomentada por Documentários e estudos acerca das mudanças climáticas.

Ela foi diagnosticada também com Asperger, um transtorno do espectro autista, com sua crescente visibilidade, como consequência, houve também o aumento da consciência sobre esse transtorno.

Seus pais viveram isso com ela, juntaram forças com seu ativismo e mudaram o estilo de vida dentro da casa, sem carros, sem carne… Tudo o que é possível para fazer o consumo consciente.

Com essa breve história, organizaram um livro juntos: “Nossa casa está em chamas”.

QUANDO VAMOS MUDAR?

Esse é um questionamento recorrente ao longo das décadas e também é uma pergunta que Greta faz ao Parlamento Sueco. Ela começou sua luta em uma sexta-feira de agosto de 2018, quando decidiu não ir à escola para protestar em frente ao Parlamento.

Mal sabia essa jovem pensadora que sua atitude seria repetida por mais de 270 cidades ao redor do mundo, que seu nome estaria na boca do povo e que seria a personalidade do ano mais jovem da história a ser escolhida pela Revista TIME.

CONTEXTO DE “PIRRALHA”

Nesta terça-feira (10) o presidente, Jair Bolsonaro, foi questionado se ele estava preocupado com a morte de dois índios no último sábado (7).

“Como é, Índio? Qual o nome daquela menina lá? Não, lá de fora, lá. Aquela Tabata, não. Como é? Greta. A Greta já falou que os índios morreram porque estão defendendo a Amazônia. É impressionante a imprensa dar espaço para um pirralha dessa aí. Uma pirralha”, disse. O que seria de Greta se tivesse pais repressores e que ao invés de protestar todas as sextas-feiras fosse obrigada a ir à escola? Escutemos a Nova Geração, lutemos por mudanças ao seu lado e apaguemos o fogo da nossa casa, Terra.