A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação. A campanha seguirá até o dia 23 de maio. (Foto: Ilustrativa)

Desde segunda-feira (23) a Secretaria de Saúde de Adamantina realiza a vacinação dos idosos em suas residências. A medida evita que os considerados como principal grupo de risco para transmissão da Covid-19, o novo coronavírus, se aglomerem nos postos de saúde.

Oito equipes da pasta estão divididas pela cidade e, até esta sexta-feira (27), a expectativa é que sejam vacinadas 2.500 pessoas, já que estão sendo imunizados cerca de 500 idosos por dia.

A Secretaria de Saúde recebeu dois lotes da vacina – cada um com 2.300 doses, o que totaliza 4.600 doses. Em Adamantina são cerca de 6 mil idosos que devem ser vacinados até o fim da campanha. Também são vacinados trabalhadores de saúde, que atuam na linha de frente do atendimento à população.

A recomendação é para que os idosos esperem a equipe de saúde em suas casas. Não é necessário ligar para agendar ou mesmo se dirigir aos postos de saúde. As equipes usam os dados cadastrais da população para identificar os idosos.

Em 2020 o calendário foi antecipado como forma de estratégia do Governo Federal. Apesar da vacina não imunizar a população contra o novo coronavírus, é uma medida de ajudar no diagnóstico da Covid-19, porque os sintomas das duas doenças são parecidos.

Nesta primeira etapa serão vacinados somente idosos e trabalhadores da área de saúde, que atuam na linha de frente do atendimento à população. A partir do dia 16 de abril outros grupos serão imunizados.

MINISTÉRIO DA SAÚDE
O Ministério da Saúde inverteu a ordem de público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza. Esta é mais uma medida de proteção a esses públicos, em especial aos idosos, já que a vacina é uma proteção aos quadros de doenças respiratórias mais comuns, que dependendo da gravidade pode levar a óbito.

Outra preocupação é evitar que as pessoas acima de 60 anos, público mais vulnerável ao coronavírus, precisem fazer deslocamentos no período esperado de provável circulação do vírus, no país. A primeira fase da campanha começou no dia 23 de março, em todo o Brasil.

Do ponto de vista epidemiológico, as crianças são consideradas multiplicadoras de vírus respiratórios e, por isso, o PNI (Programa Nacional de Imunizações do Brasi) distanciou um público do outro. Serão duas semanas de intervalo entre uma fase e outra. Na segunda fase da campanha, que começa dia 16 de abril, entram os professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além dos doentes crônicos.

A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto (até 45 dias após o parto), população indígena e portadores de condições especiais. A campanha seguirá até o dia 23 de maio.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui