Sérgio Vanderlei, presidente do Sincomercio, esclarece abertura do comércio de Adamantina em 9 de julho (Foto: Miguel Toninato)

Ao contrário do último ano o movimento no comércio de Adamantina foi baixo na terça-feira (9), feriado estadual da Revolução Constitucionalista. As vendas aquém do esperado são devido à situação econômica do país, que impacta principalmente dos setores do comércio e serviços, aponta o Sincomercio Nova Alta Paulista (Sindicato Patronal do Comércio Varejista).

O presidente do Sindicato, Sérgio Vanderlei, explica que a decisão de abrir no feriado estadual é tomada pela maioria dos comerciantes da cidade, sejam associados ou não. “O Sincomercio realiza anualmente assembleia para definição do horário do comércio. E ainda há cinco anos também aplicamos 120 questionários na região central de Adamantina para saber a opinião da maioria dos empresários, sendo o resultado utilizado como base para a Convenção Coletiva de Trabalho”, pontua.

Ainda, segundo o sindicalista, a pesquisa tem validade de assembleia, ou seja, a decisão da maioria dos comerciantes é respeitada pelo Sincomercio. “O intuito do calendário é dar segurança jurídica para as empresas que desejam abrir em horários especiais (como Dia das Mães, dos Pais, Namorados e fim de ano), aos finais de semana ou feriados. Não é obrigatória a adesão. Se respeitar a legislação municipal e as leis trabalhistas, a decisão de abrir ou não é do empresário. Se o empresário não quer abrir nessas datas especiais ele não é obrigado. Agora, a nossa obrigação enquanto sindicato é dar segurança jurídica para aqueles empresários que desejam trabalhar”, destaca.

Há pelo menos 10 anos os comerciantes de Adamantina optam por abrir no feriado de 9 de julho em compensação a segunda-feira de Carnaval, quando o comércio local fica fechado. No último ano, o movimento foi diferente, superando as expectativas dos lojistas.

“A cidade estava lotada, muitos consumidores aproveitaram o feriado para irem às compras. Compensa realizar a troca, já que o movimento foi excelente, equiparado ao sábado. Foi bom sim”, disse um empresário, na época.

Sergio Vanderlei acredita ainda que o movimento acima do esperado, em 2018, foi determinante para que os empresários optassem novamente pela abertura do comércio neste ano.  “Devido a data ser início de mês, próximo ao pagamento, muita gente de fora, de municípios em que o comércio não funcionou, vinham para Adamantina realizar compras. Além disso, os consumidores locais não precisaram ir para fora, já que uma diversidade de produtos está disponível aqui na cidade”, ressalta. “À situação econômica do país, que ainda vive a expectativa pelas reformas propostas pelo Governo Federal, desacelera as vendas não apenas no dia 9 de julho, mas é uma realidade que vem sendo enfrentada há meses pelo comércio nacional”. Nas próximas semanas, o Sincomercio Nova Alta Paulista aplicará novamente as pesquisas sobre os horários e datas para saber a opinião dos comerciantes de Adamantina e realizará, entre os meses de agosto e setembro, assembleia para definição da Convenção Coletiva de Trabalho 2020. “Por isso a importância dos empresários responderem os questionamentos e participarem da assembleia. É uma decisão que impactará no seu próprio comércio no ano seguinte”, finaliza Sérgio Vanderlei.