Para combater o mosquito Aedes aegypti, a Prefeitura de Parapuã realiza mutirão de limpeza e conscientização neste domingo (19). A ação é idealizada em parceria com Rotary Club da cidade.

Neste ano, os casos confirmados da doença chegam à 20, número inferior de Adamantina, que nesta semana confirmou o 443º registro positivo da doença. Porém, o Município não realiza ações do tipo que acontecerá em Parapuã para minimizar os impactos da dengue.

Segundo a Prefeitura de Parapuã, o objetivo da campanha de limpeza é conscientizar a população sobre os perigos da doença, que pode matar, e fazer com que todos ajudem no combate através de medidas simples, como o descarte correto dos materiais que podem acumular água parada. Participam do mutirão os departamentos municipais, entidades, empresas e escolas.

“As pessoas precisam entender que as chuvas ajudam muito a larva do mosquito se proliferar, por isso a Prefeitura, junto ao Rotary Club, organizou o mutirão com todos os departamentos. Porém, a população precisa participar e ter consciência de que a prevenção é a melhor atitude contra a dengue”, disse José Agenor Néris de Souza, presidente do Rotary Club de Parapuã.

A Administração Municipal informa ainda que todas as regiões da cidade receberão a visita do mutirão, que vão recolher os materiais de descarte da linha branca (geladeiras, fogões e máquinas de lavar), pneus, garrafas pets, latas e galões de tinta, entre outros.

A diretora de Saúde, Regiane Simone Gimenes Fregonezi, destaca que o tema da campanha é ‘Dengue: problema de todos, e a solução também’. “Precisamos lembrar que não basta o poder público se unir com agentes de endemias, apoiadores e mutirões de limpeza se a população não cuidar de seus quintais e casas. A prevenção para a dengue ainda é o melhor remédio”, pontua.

ADAMANTINA

A Vigilância Epidemiológica de Adamantina registrou 443 casos positivos de dengue este ano. De janeiro até quarta-feira (15), quando último boletim foi divulgado, foram realizadas 937 notificações.

A Prefeitura informou ainda que não existe previsão de quando a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) repassará inseticida ao Município para realizar nebulização dos pontos críticos.

O secretário de Saúde, Gustavo Taniguchi Rufino, explicou que não há como adquirir o produto por conta própria, pois o mesmo é importado e a compra é realizada pelo Ministério de Saúde, que repassa aos estados para que eles façam a distribuição aos municípios, conforme a quantidade de casos confirmados.

OSVALDO CRUZ

Osvaldo Cruz é outra cidade da região que enfrenta o perigo da dengue. O número de casos confirmados subiu para 143 nesta semana.

A Vigilância Epidemiológica confirmou que ainda há 127 pacientes que tiveram sintomas da doença e aguardam resultados de exames.