Na última edição do IMPACTO, comentamos sobre os “presentes” que a região recebeu do novo Governo do Estado neste início de ano. E, nesta quinta-feira (11), um novo anúncio: entraram em operação duas novas unidades prisionais na Nova Alta Paulista.

No passado, denominada como ‘Texas paulista’, em alusão a terra “sem lei” dos Estados Unidos, a região é conhecida por ter uma das maiores densidades de presos por metro quadrado do mundo. São mais de 20 mil pessoas detidas em 11 penitenciárias e duas unidades da Fundação Casa, quantidade que será ampliada com a inauguração de dois CDPs (Centros de Detenção Provisória) em Pacaembu.

Em uma região que há poucas empresas que movimentam a economia das cidades, muitos prefeitos encontram das penitenciárias a oportunidade de aumentarem as receitas dos cofres públicos, sendo disputadas e requeridas por muitas administrações.

Porém, estes gestores não se empenham da mesma forma em busca das tão prometidas compensações, que nunca chegaram, seja na ampliação e estruturação das unidades de saúde, melhorias efetivas na SP-294 (Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros), entre outras benfeitorias para o progresso da Alta Paulista.

E, falando na principal via da região, a SP-294, o prefeito de Osvaldo Cruz, Edmar Mazucato (PSDB), confirmou a implantação da praça de pedágio na altura do posto JM, entre Osvaldo Cruz e Inúbia Paulista, mas em seu Município.

A expectativa é que as praças de pedágio, já que outras duas estão programadas para serem instalados em Tupi Paulista e Santa Mercedes, devem começar a operar entre o final de 2021 e começo de 2022. Porém, a duplicação entre Parapuã e Panorama deve ocorrer em até 10 anos.   

Ano que vem tem eleição, que a população escolha os gestores que realmente batalham pelo progresso da Alta Paulista!