Estamos no mês de setembro e quem nunca ouviu falar sobre a Campanha “Setembro Amarelo”? Ela traz algum beneficio? Por que precisamos dela até hoje? Onde estamos errando?

Bom, a Campanha “Setembro Amarelo” se iniciou em 2015, é uma Campanha somente brasileira de prevenção ao suicídio, mas será que preveni mesmo?

No Brasil, dados mostram que 1 (um) caso de suicídio acontece a cada 46 minutos, todos os transtornos psicológicos estão aumentando globalmente e nós temos uma cultura para não falar sobre eles.

No dia 4 de Setembro em minha Escola Nueva Geracion, localizada no México, tivemos aulas muitos interessantes e diferentes das Escolas Brasileira, estudamos “Orientação Vocacional” o nome parece dizer tudo, mas não, a professora é formada em Psicologia e na aula desse dia falamos sobre os “Transtornos Alimentares”, contei aos meus amigos de classe que estava próximo de chorar de felicidade: uma Escola, com uma aula inteira, falando sobre um tipo de Transtorno Psicológico (posto que os mesmos vão além de Depressão e Ansiedade).

Na tarde desse dia entrei em melancolia, em nossos Pais temos o CVV (Centro de Valorização da Vida), porém essa grandiosa Entidade não consegue atender toda a nossa população.

Pensem comigo, um Pais onde as pessoas sabem identificar o transtorno do próximo, sabem qual profissional indicar e, principalmente, sabem respeitar a dor do próximo.

Portanto, transtornos psicológicos são doenças e essas, como todas as outras, devem ser tratadas por profissionais da área e não por meio de frases prontas “sua vida importa”; “você é especial”; “sua dor vai passar” ora, se alguém quebrar um osso e não cuidar com um Médico Ortopedista sua dor vai passar?

Que neste mês nós possamos refletir quanto as nossas ações efetivas na Sociedade e repensemos a maneira como agimos com relação à dor do próximo! Que o Setembro Amarelo possa um dia ser apenas uma lembrança!